Comunidades Inseridas no Meio Popular

Casa Margarida Alves  – Americana

No dia 11 de março de 1994, três Irmãs passaram a morar, na Casa Margarida Maria Alves, localizada na “Favela da Mathiensen”, na cidade de Americana, a pedido do salesiano Padre Fernando Varella, responsável pela Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora, constituindo uma Comunidade Inserida no meio popular.

Após a visita às residências, ouvir as pessoas, as Irmãs, novatas na região, perceberam que a expectativa do povo era a formação bíblica, litúrgica e de fé-política e se prepararam para atender a essas necessidades. Um das Irmãs atuou, durante 4 anos, em escolas estaduais, ensinando Português e ajudando na reflexão pedagógica para encontrar estratégias que permitissem um trabalho mais significativo junto às crianças empobrecidas da Paróquia.

A localização da residência das Irmãs proporcionou a elas o contato direto com a realidade de exclusão e de sofrimento e, logo, se envolveram na luta para a urbanização, organizando o povo, conscientizando-o de seu direito à moradia digna e encaminhando o processo.  Hoje, onde havia favela há um bairro de ruas largas, casas de alvenaria.

Por vários anos, as Irmãs tiveram um grupo de adolescentes que se tornaram jovens e adultos engajados na Comunidade, multiplicadores dos ensinamentos recebidos, sinais de vida comprometida com os irmãos e irmãs de caminhada.

Atualmente, as Filhas de Maria Auxiliadora atuam mais nas assessorias e coordenação da Comunidade Santa Maria Mazzarello do que nos trabalhos de base e são muito requisitadas pela Comunidade Nossa Senhora Aparecida, em organização.

Comunidade Maria de Nazaré – Diadema

16 de fevereiro de 2003, o domingo amanheceu ensolarado e aos poucos foram chegando em nossa casa os (as) amigos (as) da Comunidade Santa Maria (Paróquia Nossa Senhora Aparecida), São Bernardo do Campo – SP, para nos ajudar na mudança de cidade: Sr Roberto, Sr José, Sr. Zequinha, Oscar, Luiz, Nazaré, Vera, Leonardo… Doação e pura solidariedade que comove: o almoço preparado por Vera para todos que ajudavam na mudança; colocação dos móveis e das caixas com objetos próprios em cada cômodo; louças, panelas, talheres, colocados nos armários; instalação da geladeira, fogão, gás, outros

Enquanto isso acontecia em Diadema, outro grupo limpava e arrumava a casa de São Bernardo do Campo para acolher a família que permutou a casa com a Inspetoria em vista de problemas com dependência química do filho mais velho.

Ir. Odete Marília de Carvalho César, Ir. Manoracy Vitar Medeiros e Ir. Iracema Schoeps formam a Comunidade Religiosa”. (Crônica da Comunidade Maria de Nazaré).

A Comunidade Maria de Nazaré nasceu da preocupação das Irmãs da Casa de São Bernardo pelas crianças, adolescentes e jovens de dois bairros de Diadema. A Casa de São Bernardo desenvolveu por alguns anos o acompanhamento das Comunidades Cristãs da Paróquia Nossa Senhora Aparecida – Região Alves Dias – S. Bernardo do Campo (SP).

A residência das Irmãs, próxima à divisa entre os dois municípios de S. Bernardo do Campo e Diadema, era passagem e ponto de parada de crianças e adolescentes de Diadema para tomarem água e conversarem com as Irmãs.

Essas crianças e adolescentes praticavam pequenos furtos nos semáforos; as adolescentes, sujeitas à prostituição precoce. Regressavam a Diadema às altas horas da noite. Uma noite, pelas 23 horas, um dos adolescentes, ferido, pediu socorro em nossa Comunidade.

Toda essa situação levou a Comunidade Religiosa a iniciar dois trabalhos: com mães do Jardim Gazuza e Núcleo Habitacional Vinícius de Moraes e um grupo de teatro com  adolescentes e jovens. Nesses dois grupos foi importante a participação de leigos e leigas das Comunidades Cristãs de S. Bernardo do Campo que acompanharam a Comunidade Religiosa.

Reconhecendo a importância da presença e do trabalho sócio-educativo das Irmãs, em 2002, Padre Gerônimo Colombo, Pároco da Paróquia Menino Jesus, Diadema, solicitou a nossa presença mais efetiva nesta Paróquia.

Refletindo com as Comunidades de São Bernardo do Campo sobre itinerânçia e missionariedade da VR, a Comunidade Religiosa assumiu a mudança para o município  de Diadema, para uma Comunidade da Paróquia Menino Jesus.

Eram onze asComunidades Eclesiais de Base da Paróquia Menino Jesus: Menino Jesus (Jardim Marilene), N. Senhora Aparecida (em três bairros: Jardim Casa Grande, Vila Popular, Jardim Portinari), Santa Rita (Barrionoevo) São Paulo Apóstolo (Jardim Arco-Íris), Imaculada Conceição (Jardim Goyotin), Maria de Nazaré (Vila Lídia), Sagrado Coração de Jesus (Jardim Gazuza), S. Judas Tadeu (Núcleo Habitacional Santo Ivo) e Nossa Senhora do Perpétuo Socorro (Núcleo Habitacional Novo Habitat). Percorremos, por meses, todos os bairros destas Comunidades procurando moradia.

Ícone e protetora da Comunidade Religiosa: Maria de Nazaré, em vista dos caminhos percorridos na aquisição da nossa moradia que se situa quase defronte à capela da Comunidade Cristã do mesmo nome. Que todo simbolismo bíblico de Nazaré seja inspiração e mística para a inserção.

Atuamos como assessoria: na Pastoral da Juventude, Pastoral Vocacional, Formação de Catequistas, Cursos Bíblicos, Movimento de Fé-Política, Conselhos de Pastoral, CEBs, Grupos de Rua, Economia Solidária, Grupos de apoio à familiares de dependentes químicos (“Amor Exigente”) e álcool (“All-anon”); Jornal “Se liga, Galera!”, uma parceria com a  Secretaria Municipal de Educação através do Programa “Ação Compartilhada”, como Educomunicação.

E como Professora na Rede Municipal de Ensino, na Educação de Jovens e Adultos (EJA) no Curso Supletivo Noturno.