Menu Principal

BLOG

CG XXIV: Comunidades sinodais, como em Mornese

O caminho de reflexão e de estudo dos três núcleos do tema capitular continua a envolver os capitulares reunidos em Roma para o XXIV Capítulo geral.

E a Palavra de Deus continua no coração de cada dia, os ditos e gestos que suscitam os convidados das Bodas de Caná, são leves na busca conjunta e no discernimento das escolhas e respostas quotidianas de vida e de fé, no seio da contemporaneidade. .

Ir. Marta Riccioli, inspetora da Inspetoria argentina São Francisco Xavier (ABB), apresenta o tema do II Núcleo da Comunidade Sinodal “O estilo sinodal em Mornese” (Jn.2,3-109).

Depois de refazer, no texto bíblico, a dinâmica das ações de Maria e de Jesus, ela convida os capitulares a “ construir comunidades inclusivas, entrelaçadas com relações intergeracionais, interculturais e até intercongregacionais Essas relações na sua diversidade são uma oportunidade preciosa para o exercício da pedagogia do acolhimento e da escuta , que favorece a valorização do diferente sempre como riqueza ”.

Ele se detém na atitude de Maria em Caná, destacando a proximidade e a proximidade; “Maria promove relacionamentos amorosos por meio do contato e do diálogo, desperta a vida como carinho e interdependência . Gera um ambiente de interação, de comunicação; a sua palavra aberta ao diálogo é o início e o convite a mudar a situação. Faz com que todos os personagens interajam em uma rede de vínculos , o que gera um ambiente sereno e alegre para respirar e curtir. Maín, em Mornese, gera este peculiar espírito de família , que se torna paradigma, modelo e “ novo estilo de vida ”, capaz de incluir todos os membros da comunidade”.

Depois de um período de estudo pessoal, os capitulares são chamados a tecer redes de animação em sinodalidade, para o confronto e o diálogo nas comissões e subcomissões. No momento da assembleia são apresentados resumos dos trabalhos, seguidos de um diálogo aprofundado e da partilha de experiências que visam fortalecer o sentimento de ser uma comunidade sinodal em caminho.

“Ser comunidade sinodal significa revitalizar os caminhos em curso e abrir-se à novidade do Espírito; o desafio é poder criar sinergias, redes de relações de reciprocidade e corresponsabilidade no contexto da espiritualidade e da missão salesiana. Isso ajudará a construir um futuro evangélico e carismático, permeado pelo espírito de família, que é o clima fundamental em que se expressa o carisma mornês ”.

Fonte: Portal das FMA

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn

Posts Relacionados

Agosto, mês das vocações

Neste mês a Igreja celebra as vocações: sacerdotal, diaconal, religiosa, familiar e leiga. É um mês voltado para a reflexão e a oração pelas vocações

Para você navegar neste website, usaremos cookies para melhorar e personalizar sua experiência.