Menu Principal

BLOG

Juventude salesiana, discípula e missionária de Cristo

A vida cristã se divide em dois chamados, igualmente importantes: “Venha” conhecer e seguir Jesus, como discípulo apaixonado; e “Vᔠtestemunhar a outros a sua fé, para que esta se converta em fonte de luz e vida para todos. As afirmações, feitas pelo Reitor-mor dos Salesianos, padre Pascual Chávez Villanueva, resumem bem a tônica da entrevista concedida na manhã desta terça-feira, 23 de julho, pelo superior dos Salesianos de Dom Bosco (SDB) e pela Madre-geral das Filhas de Maria Auxiliadora (FMA), irmã Yvonne Reungoat.

A entrevista coletiva foi realizada no Colégio Salesiano Santa Rosa, em Niterói, RJ, com a presença de diversos veículos de comunicação salesianos. Logo no início, padre Pascual Chávez e madre Yvonne Reungoat falaram da alegria de estar no Brasil para participar da Jornada Mundial da Juventude e do Fórum Mundial do Movimento Juvenil Salesiano (MJS-AJS): “É uma alegria muito grande estar aqui para participar destes eventos que são sinais de que os jovens possuem capacidade, dinamismo e um desejo muito grande de viver com profundidade e de encontrar Jesus”, disse a madre Yvonne. “A JMJ é uma oportunidade de oferecer respostas aos jovens do mundo, que vivem momentos de grande desesperança por causa de um modelo social individualista e injusto”, considerou padre Pascual.

O Reitor-mor e a Madre-falaram da importância do Movimento Juvenil Salesiano (que no Brasil recebe o nome de Articulação da Juventude Salesiana); do Fórum Mundial e da festa do MJS-AJS, que serão realizados nesta quarta-feira, 24 de julho; e dos resultados positivos do Encontro Continental América, realizado nos dias 18 a 21 de julho.

Ao longo da coletiva, o Reitor-mor e a Madre geral responderam a uma série de perguntas relacionadas não apenas ao universo salesiano, mas também à situação atual do jovem na sociedade e na Igreja. Em resposta sobre como a JMJ poderia contribuir para que os governos e o poder público deem maior atenção às reivindicações da juventude, padre Pascual Chávez disse acreditar na força social do evento: “O primeiro grande desafio da JMJ é promover o debate da situação atual que os jovens estão vivendo. Eles estão inseridos em um modelo social que os coloca como descartáveis, e se veem desprovidos de seus direitos básicos. A JMJ é um grito diante desse modelo social”, disse o reitor.

Ele também citou as palavras do Papa Francisco em seu discurso, no Palácio Guanabara, na noite de 22 de julho: “O Papa Francisco disse ‘não tenho ouro nem prata, mas trago Jesus Cristo’, e a JMJ é uma forma de trazer para os jovens as respostas que eles buscam diante desse modelo social excludente em que vivemos”.

O exemplo do Papa Francisco foi citado ainda ao destacar-se a importância de que os jovens salesianos assumam uma postura missionária junto a outros jovens, conforme indicou o I Encontro Continental América. “A fé não é algo para guardar para si, mas para compartilhar”, afirmou padre Pascual Chávez, “e para isso precisamos descobrir que todos somos filhos e filhas de Deus, independentemente da religião. O Papa Francisco está dando um exemplo disso, com sua humildade e acolhida”. “Os jovens não podem ficar com essa mensagem (do amor de Deus) só para si; têm de comunica-la para os outros, não só com palavras, mas também em gestos concretos. Os jovens do Movimento Juvenil Salesiano são chamados a ser símbolos de esperança para outros jovens, porque foi isso que fez Jesus”, completou madre Yvonne.

Os superiores da Família Salesiana ressaltaram, em diversos momentos da entrevista, que o Movimento Juvenil Salesiano pode favorecer para que os jovens formulem e consolidem projetos de vida pautados nos valores evangélicos, tornando-se pessoas comprometidas com o bem comum, com a solidariedade e a atenção ao próximo. Também, que o MJS-AJS fortalece as vocações – tanto religiosas como as vocações leigas.

Outro ponto importante destacado na coletiva foi o papel da juventude na transformação da Igreja Católica. “Meu sonho é que os jovens possam gozar de todas as oportunidades a que tem direito, justamente para poder desenvolver os talentos e qualidades que o Senhor lhes deu. Mas não basta renovação social. A Igreja também esta chamada a uma mudança muito profunda”, considerou padre Pascual Chávez.

Madre Yvonne Reungoat reforçou essa visão, considerando que a juventude é parte fundamental na Igreja e na Família Salesiana: “Desejo a vocês, jovens, que sejam alegres, não porque tudo é fácil na vida, mas por saberem que nunca estão sós. Alegres porque quando Jesus está conosco, nada é impossível. E que essa alegria seja uma luz que possa chegar aos confins da terra, como sinal de mudança”, concluiu madre Yvonne.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn

Posts Relacionados

Páscoa na Casa Betânia

Ao longo da semana, várias atividades foram desenvolvidas pelos educadores, juntamente com os educandos, sobre a Páscoa. Na terça-feira, as crianças e os adolescentes vivenciaram a

Para você navegar neste website, usaremos cookies para melhorar e personalizar sua experiência.