Menu Principal

BLOG

Comunicação CCMAC

Um pouco de história

A atenção à realidade comunicativa esteve presente desde os inícios do Instituto FMA: Dom Bosco, Maria Domingas Mazzarello foram grandes Comunicadores. Das obras e das comunidades fundadas por eles, fizeram verdadeiros sistemas comunicativos, dando essa conotação à pedagogia e à espiritualidade salesiana. O ambito para a Comunicação social foi criado em 1990, durante o XIX Capítulo Geral, num contexto de mudança cultural. Nasceu para responder a algumas perguntas fundamentais:

  • Como enfrentar a cultura atual, nesta nossa sociedade da informação?
  • Como traduzir no hoje as intuições das origens?
  • Como dar um salto de qualidade, em linha com a Igreja e com a história?
  • Como valorizar a relevância da comunicação sobre a nossa identidade de mulheres educadoras de jovens?

A partir do Capítulo Geral XIX (1990), que criou o Âmbito da Comunicação Social, o Instituto começou um processo de reformulação das suas políticas comunicativas, que orientam os seus projetos a partir destes objetivos:

  1. Passar de uma visão instrumental a uma concepção cultural da comunicação.
  2. Assumir a comunicação como ótica e prática educativa transversal da missão na atualização do carisma.
  3. Favorecer uma comunicação institucional baseada na mentalidade de rede para incidir sobre as decisões em favor da vida e daqueles que a sociedade exclui.
  4. Dialogar com o mundo contemporâneo, especialmente com os jovens, para contribuir na criação de uma nova cultura da solidariedade em vista de uma cidadania ativa.
  5. Passar de uma informação unidirecional a uma comunicação recíproca, de qualidade, para que todos tenham voz.
  6. Favorecer a mediação tecnológica através do uso educativo das novas tecnologias

Entre os percursos assumidos no Capítulo Geral XXI foi escolhida a linha da educomunicação como ótica e prática educativa transversal à missão e atualização do Sistema Preventivo.

“Entre as maravilhosas invenções da técnica que, principalmente nos nossos dias, o engenho humano extraiu, com a ajuda de Deus, das coisas criadas, a santa Igreja acolhe e fomenta aquelas que dizem respeito, antes de mais, ao espírito humano e abriram novos caminhos para comunicar facilmente notícias, ideias e ordens.”

(Decr. Inter mirifica, 1)

Fonte: FMA

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn

Posts Relacionados

É a Páscoa do Senhor!

O Evangelho de João nos apresenta um espetáculo maravilhoso. Antes do nascer do sol, Maria de Magdala, uma pequena mulher, sofrida pela morte do seu

Para você navegar neste website, usaremos cookies para melhorar e personalizar sua experiência.