Colégio N. S. Auxiliadora Ribeirão Preto

auxiliadora_ribeirao-preto

No dia 24 de janeiro de 1918, chegaram a Ribeirão Preto as três primeiras irmãs salesianas para educar as moças ribeirãopretanas. As irmãs foram acolhidas no hospital da cidade onde outras companheiras já realizavam um trabalho de assistência aos doentes.

Instalado numa pequena casa, na esquina onde hoje fica o colégio, no dia 09 de fevereiro de 1918, é inaugurado oficialmente o Externato Nossa Senhora Auxiliadora de Ribeirão Preto. Realizava-se mais uma vez o sonho de São João Bosco, onde Nossa Senhora pedia a criação de um colégio salesiano para meninas. Sua realização, iniciada em 1872 com enormes sacrifícios, continuava, dessa vez, na pequenina Ribeirão Preto.

Na modesta casa de esquina, os poucos cômodos abrigavam toda a filosofia que a escola desejava imprimir: um vestíbulo, sala para visitas, diretoria, algumas salas de aula, um salão para trabalhos manuais, a capela e o imenso pátio sombreado por mangueiras, onde, durante 20 anos, várias gerações se encontravam e cresceram. Durante muito tempo, as aulas atravessaram os dois períodos, entremeadas por orações e longas sessões de trabalhos manuais. Invariavelmente, as crianças eram preparadas para a Primeira Comunhão.

A escola crescia com a cidade. Aos poucos, torna-se referência de tradição, disciplina e principalmente orientação educacional e religiosa, o que, na época, era dado fundamental para a formação. Em 1938 e 1947 a velha casinha é demolida e, em seu lugar surge um edifício que toma quase todo o quarteirão e reúne as instalações adequadas para o que já se transformara numa grande escola.

Do pequenino externato de 1918 até os dias de hoje, o Colégio Auxiliadora segue os caminhos da Tradição e da Renovação. A Tradição marcando a fidelidade à história, aos ideais e aos princípios e valores que sustentaram, ao longo desses anos, o vigor da Instituição Educativa.

E a Renovação, levando o corpo docente e administrativo a um profundo e lúcido compromisso com o mundo a seu redor e com a evolução do pensamento e da ciência – sobretudo com os novos paradígmas da ciência pedagógica. Trata-se de uma renovação que fundamenta a persistência no trabalho educativo, no ensino de um conteúdo que vise a formação da consciência crítica e o exercício da liberdade responsável – e, conseqüentemente, o exercício da cidadania. Alicerçados no Sistema Preventivo de Dom Bosco, direção e professores ajudam o aluno a construir seu conhecimento, levando em conta sua realidade psicossocial, na certeza de que ele é sujeito e protagonista de seu próprio desenvolvimento.

A proposta é fiel aos ensinamentos de D. BOSCO, inspirador da Congregação Salesiana, pois privilegia a formação completa do ser humano e às intuições educativas de MARIA MAZZARELLO, nossa patrona, que assumiu e viveu o Sistema Preventivo de Dom Bosco, entre as jovens, com fidelidade criativa e a riqueza de sua feminilidade.